Jucurutu/RN, 20 de junho de 2019


Arquivo Mês: maio 2018

A corregedoria geral de justiça do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte assinou, na última segunda-feira (28), o provimento 175/2018, que autoriza aos transexuais a alterarem seu nome e gênero diretamente no registro civil, independente de processo judicial. Com isso, a justiça estadual se tornou a sexta no país a regulamentar o procedimento para mudança do nome em cartório.

 

No município de Florânia, cerca de 230km da capital Natal, na região Seridó do Rio Grande do Norte tem o primeiro registro de mudança de nome e gênero no estado.

 

Trata-se da trans Amanda Palloma de Oliveira de 21 anos de idade, que antes tinha em seu registro civil o nome de José Wellington de Oliveira, a mesma já recebeu o seu registro civil e em seguida irá dar entrada nas mudanças de nomes em seus demais documentos.

Nossa reportagem entrou em contato com mesma e ela declarou que foi uma mudança madura e bem pensada “ Depois de 3 longos anos de luta, hoje me sinto livre sem me prender ao constrangimento de mostrar um documento, hoje tenho prazer de dizer que sou a primeira Mulher Transexual a mudar Nome e Gênero conforme nova lei do STF dentro do Rio Grande do Norte” falou a Amanda.

A presidente da associação dos notários e registradores do RN, Anoreg-RN, Maria Lucivan Fontes explicou que agora basta se dirigir a qualquer cartório de registro civil do estado e fazer um requerimento administrativo, levando os documentos básicos como identidade, CPF, titulo de eleitor e certidão de nascimento.

Com esse pioneirismo em Florânia também se registra o Cartório Ofício Único de Notas com o Tabelião Luís Eduardo de Araújo Ribeiro.

Blog de São Vicente.

31 de maio de 2018 10:36

Nos últimos meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) publicou as novas regras para as eleições deste ano. Confira algumas das mudanças e resoluções e entenda melhor o processo de votação:

Gastos de campanha

Os candidatos têm um teto de gastos para as campanhas e devem informar os valores ao TSE. Para candidatos a presidente, o limite é de R$ 70 milhões no primeiro turno e de R$ 35 milhões no segundo turno. Já candidatos ao posto de senador podem gastar entre R$ 2,5 milhões a R$ 5,6 milhões. Para a disputa a governador, os participantes podem gastar entre R$ 2,8 milhões a R$ 21 milhões; a deputado federal, até R$ 2,5 milhões; e a deputado estadual ou distrital, até R$ 1 milhão.

Arrecadação

Neste ano, pessoas físicas vão poder doar a um candidato até 10% do rendimento bruto pessoal em 2017. Os candidatos podem ainda arrecadar verba por meio de financiamento coletivo, as vaquinhas ou crowdfunding. Pessoas jurídicas (empresas) não podem fazer doações a candidatos desde 2015.

Propaganda na TV e no rádio

O tribunal decidiu que as propagandas eleitorais podem começar a partir de 16 de agosto, enquanto as veiculadas durante o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão devem começar somente em 31 de agosto. No segundo turno, ela vai começar na sexta-feira seguinte após o primeiro turno e terá o formato de dois blocos diários de dez minutos para cada eleição (presidente e governador). Não são permitidos efeitos especiais com montagens, animações e computação gráfica.

Propaganda na internet

Na internet, a propaganda também poderá começar em 16 de agosto e está permitido o impulsionamento de conteúdos (quando a publicação em uma rede social é paga para alcançar um maior número de pessoas) por partidos, coligações e candidatos. Já as propagandas por telefone são proibidas.

Propaganda na rua

Nas ruas, os candidatos podem utilizar carros de som e minitrios apenas em carreatas, passeatas e comícios, respeitando o limite de 80 decibéis para o som e de 7 km, velocidade do veículo. Os comícios podem ser realizados das 8h à meia-noite, e os comícios de encerramento devem acabar, no máximo, às 2h da madrugada. E atenção: outdoors são proibidos, enquanto bandeiras e mesas não devem atrapalhar os pedestres ou o trânsito.

Nome social

O TSE decidiu que, a partir destas eleições, os candidatos transgêneros vão poder utilizar o nome social na urna. Já os eleitores transexuais e travestis podem solicitar a inclusão do nome social no título de eleitor e no caderno de votação até 9 de maio.

Voto impresso

Outra mudança neste ano é a impressão do voto, que será implementada de forma gradual até 2028. Em 2018, cerca de 5% das 600 mil urnas eletrônicas terão voto impresso.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do TSE e da Agência Brasil

O Município de Caicó concluiu nesta quarta-feira (30), o pagamento dos servidores municipais referente ao mês de maio de 2018. Mais uma vez, a prefeitura antecipou o pagamento que teve início na sexta-feira (25), com o repasse da remuneração aos agentes de saúde e endemias, através de recursos federais e complemento do Município.

Segundo o secretário de Tributação e Finanças, Francisco Oliveira, nesta quarta-feira, receberam o pagamento os efetivos e comissionados do IEL e Processo Seletivo da Saúde  e Educação. “Mesmo em meio à crise enfrentada pelos municípios, a gestão está focada em iniciativas que garantam o equilíbrio econômico e financeiro e estamos priorizando o pagamento em dia do funcionalismo público. O Município cumpre mais uma vez com as obrigações junto aos servidores, além de contribuir para o aquecimento da economia da cidade”, disse Francisco.

Via Jair Sampaio

 

… O Ministério Público do Rio Grande do Norte está abrindo bem os olhos para ‘várias licitações com insinuações de fraudes’ por parte de algumas prefeituras do Estado. Se houver uma ‘busca aprofundada’ muitos ‘gestores’ do Estadoirão responder por Improbidade Administrativa e vários outros crimes.

Que poderá ocasionar perda de mandatos. O Ministério Público despertou e, pelo que se houve, dezenas de prefeitos já estão sendo investigados.

Via Robson Pires

 

A crise provocada pela greve dos caminhoneiros nem acabou e o governo e a Petrobrás terão de enfrentar nova pressão para reduzir preços. Dessa vez, o alvo será o preço do gás de cozinha Pré-candidato ao Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elegeu como prioridade a votação de propostas com apelo popular com foco na população de baixa renda, entre elas, o subsídio ao gás de cozinha.

Como ocorre com a gasolina e o diesel, os preços do gás seguem a cotação internacional. Maia prometeu a líderes partidários votar medida para baixar o preço. Atualmente, o preço do gás vendido em botijões de 13 quilos é reajustado uma vez a cada três meses, política adotada no início do ano pela Petrobrás para tentar suavizar o repasse ao consumidor das cotações internacionais.

De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), as distribuidoras são as principais responsáveis pela falta de repasses ao consumidor.

Com dois cortes promovidos pela Petrobrás, o preço do produto nas refinarias acumula queda de 9,2% no ano. Nesse período, porém, o preço médio do botijão de 13 quilos ficou praticamente estável, com queda de 0,3%. O preço médio do botijão, segundo a agência, é de R$ 66,87. Em 2017, os aumentos no preço do combustível levaram 1,2 milhão de famílias brasileiras a apelarem para lenha ou carvão na hora de cozinhar, de acordo com pesquisa do IBGE.

Negociação

A estratégia de incluir medidas populistas em MPs e projetos de alto interesse da equipe econômica foi usada ultimamente para forçar o governo a negociar. Foi o que aconteceu com projeto de reoneração da folha de pagamento das empresas, aprovado na semana passada pela Câmara com a previsão de redução a zero do PIS/Cofins do diesel até o final do ano, com perda de arrecadação estimada em R$ 13,5 bilhões. Após a aprovação, o governo editará decreto reduzindo em R$ 0,46 o preço do combustível por 60 dias.

A ideia de Maia é aprovar a proposta de subsídio ao gás de cozinha junto com o projeto da cessão onerosa, que pode render receita extra de até R$ 100 bilhões pelos cálculos do deputado, ou com a medida provisória (MP) editada na semana passada pelo presidente Michel Temer que acaba com o Fundo Soberano do Brasil (FSB). Criado em 2008, o fundo funcionava como uma poupança para o Brasil enfrentar crises econômicas. Mas a ideia não deu certo e ele acabou sendo usado no governo Dilma Rousseff para “manobras contábeis” para melhorar artificialmente o resultado das contas públicas.

A ideia do governo Temer é usar os recursos do fundo para garantir o cumprimento da chamada “regra de ouro”, que impede o governo de tomar dinheiro emprestado para despesas correntes, como folha de salários e serviços de luz e telefone. A regra está prevista na Constituição e corre o risco de descumprimento em 2018, sem a aprovação das medidas elaboradas pelo governo, entre elas, o fim do FSB.

O presidente da Câmara, porém, quer usar os recursos que eram do fundo para subsidiar a redução no preço do gás. “Essa é a vontade do governo, mas o povo não pode pagar a conta sempre”, rebateu Maia ao jornal O Estado de S. Paulo e ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado).

No Planalto há críticas às tentativas dos parlamentares de “patrocinar” medidas populistas. No início deste mês, o governo resgatou R$ 3,5 bilhões do FSB que estavam num fundo multimercado administrado pelo Banco do Brasil, o FFIE. Os recursos foram transferidos para a Conta Única do Tesouro Nacional e depositados em subconta do FSB que soma agora R$ 26,5 bilhões. Outros R$ 500 milhões ainda estão depositados no FFIE. O dinheiro está reservado para o pagamento da dívida pública. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Trecho de fala do presidente em entrevista provoca dúvida de compreensão, mas segundo assessoria da Presidência, ele disse: ‘Nós podemos reexaminá-la, mas com muito cuidado’.

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (29), durante entrevista à emissora oficial TV Brasil, que pode reexaminar a política de preços da Petrobras.
Na entrevista, Temer primeiro afirma não querer alterar a política da estatal. Em seguida, se refere à possibilidade de reexaminá-la. Mas a fala do presidente deixa dúvida se ele disse “não podemos reexaminá-la” ou “nós podemos reexaminá-la”. Consultada, a assessoria de comunicação do Palácio do Planalto informou que ele disse “nós”.
“Convenhamos, a Petrobras se recuperou ao longo destes dois anos. Estava em uma situação, digamos, economicamente desastrosa há muito tempo. Mas nós não queremos, digamos, alterar a política da Petrobras. Nós podemos reexaminá-la, mas com muito cuidado”, declarou o presidente na entrevista.
Os frequentes e até diários reajustes nos preços dos combustíveis, decorrentes dessa política, estiveram entre os principais fatores que motivaram a greve dos caminhoneiros. Desde julho do ano passado, a Petrobras promove os reajustes com base na variação do dólar e dos preços do petróleo no mercado internacional.
Tanto Temer quanto o presidente da Petrobras, Pedro Parente, vêm afirmando que a empresa tem autonomia para determinar os preços dos combustíveis, sem interferência do governo.
Mas, na quarta-feira da semana passada (23), após a deflagração da greve dos caminhoneiros, Parente anunciou uma redução de 10% no preço do dieseldurante 15 dias como “uma medida de caráter excepcional”.
Segundo ele, essa decisão não representava mudança na política de preços da estatal nem tinha sido motivada por pressão do governo. Mesmo assim, no dia seguinte, o mercado reagiu negativamente, e o valor das ações da Petrobras caiu mais de 13%.
No domingo (27), em nova tentativa de dar fim à greve, o governo fez uma proposta aos caminhoneiros que incluía uma redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias. Para manter o subsídio durante esse período, vai usar recursos públicos a fim de compensar a Petrobras.

Nesta terça-feira, em teleconferência com investidores, Pedro Parente voltou a afirmar que a autonomia da empresa para determinar a política de preços estava mantida. “Está mantida, sim, independente da periodicidade, a nossa prerrogativa”, declarou.

Via G1

 

BR-406 foi fechada na altura da cidade de João Câmara durante os protestos contra a alta de combustíveis.

Os caminhoneiros desobstruíram a BR-406, em João Câmara, que dá acesso ao polo industrial de Guamaré, no Rio Grande do Norte, onde fica a refinaria de petróleo e querosene de aviação da Petrobras. O desbloqueio aconteceu no início da tarde desta terça-feira (29), após o envio de policiais rodoviários federais, Exército e Polícia Militar. A desobstrução foi pacífica.
Há nove dias os motoristas de caminhão realizam protestos em diferentes estradas do país contra a alta de combustíveis. Na tarde desta terça (29), foi enviado um comboio até João Câmara, com carros do Batalhão de Choque da PM, Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Exército e Corpo de Bombeiros. O objetivo da tropa era retirar de lá os manifestantes e desbloquear a estrada.

Contudo, antes da chegada do comboio, os caminhoneiros resolveram deixar o local. A BR-406 é um ponto estratégico para o Rio Grande do Norte, porque é por ela que passam os caminhões de combustíveis que saem da refinaria para abastecer o estado.
Além de ligar a refinaria a Natal, a rodovia também leva ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante. Com a desobstrução, os caminhões de combustíveis seguiram em direção aos postos de abastecimento.

Via G1/RN

O deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) se pronunciou, nesta terça-feira (29), na Assembleia Legislativa, sobre a redução da alíquota do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) no Rio Grande do Norte. O parlamentar sugestionou que o Governo do Estado reduza de 25% para 17% o percentual com o qual o tributo incide sobre o preço dos combustíveis.

“Diante do contexto que estamos vivendo, é razoável que o governador (Robinson Faria, PSD) tome essa atitude. Essa redução será muito importante para a economia local. Em outros estados, a medida já foi tomada e o Rio Grande do Norte deve agir de maneira semelhante”, argumentou o deputado em sua fala durante a sessão plenária do legislativo estadual.

Nelter Queiroz ainda aproveitou o espaço para solicitar ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seec), que sejam designados professores para escolas estaduais nas regiões do Seridó e do Vale do Açu. Segundo ele, estudantes estão sem aula em diversas disciplinas em razão da falta de profissionais.

O parlamentar também proferiu palavras em defesa da aprovação de Projeto de Lei de sua autoria, que denomina Dinorá Simas Lima Deodato a Cadeia Pública do município de Ceará-Mirim. Falecida em 2016, ela era agente de segurança e símbolo da presença feminina no sistema penitenciário potiguar. A proposição segue agora para tramitação nas comissões permanentes da Casa, antes de ser apreciada pelo plenário do parlamento potiguar.

No início da tarde desta terça-feira 29 de maio, a RN 118 que liga Jucurutu a Caicó está interditada pelos motoristas de Jucurutu. O motivo desse bloqueio é sobre os preços abusivos de combustível e a péssimas condições da rodovia estadual, segundo eles não dá mais para trafegar nessas condições o governador Robson faria, falou em uma entrevista em Caicó nesse mês de maio, que a 15 dias daria a ordem de serviço da nova estrada o que até o presente momento nada foi feito até agora. Os motoristas e a população cansados de esperar resolveram interditar a RN 118.

Via Rivanildo junior

Nossa página foi procurada por alguns servidores do município de Jucurutu/RN, e nos informaram que alguns servidores efetivos do município seriam de fato exonerados. Como já tínhamos relatados sobre esse temeroso do senhor gestor, nossa página obteve a informação que próxima quarta-feira acontecerá uma reunião entre o gestor e os servidores efetivos que serão exonerados com objetivo de justificar o injustificável. Será que o gestor irá reduzir em 20% os cargos comissionados? Ou irá somente exonerar os servidores efetivos? Quem muito se lembra do atual gestor participando ativamente das greves dos professores de Jucurutu/RN, sempre com um discurso político e emocionante, buscando sempre defender os servidores efetivos do município e agora ele mudou de pensamento, deixou de apoiar o servidor e passando a exonerar servidor. Nossa página solidariza com todos os servidores efetivos do município de Jucurutu/RN que estão na lista para serem exonerados. Prefeito não faça isso com o servidor, você ficará na história de Jucurutu/RN como o prefeito que exonera servidor efetivo. E o que já está circulando nas conversas dos servidores é os mesmos já estão articulando uma PARADA GERAL com todos os servidores do município. Será a Segunda mobilização que o Gestor Servidor irá enfrentar.

Apesar de bloqueios a caminhões, cargas de combustíveis foram escoltadas e chegaram a Natal para abastecer postos da capital e região metropolitana.

Apesar do governo federal ter autorizado o uso das forças armadas para impedir interdições nas estradas do país, boa parte das rodovias federais que cruzam o Rio Grande do Norte permanecem com bloqueios parciais.
Na manhã deste domingo (27), sétimo dia seguido de bloqueio contra aumento do preço do diesesl, a Polícia Rodoviária Federal informou que pelo menos 5 BRs seguiam interditadas em 9 pontos. No início da tarde, horário da última atualização desta reportagem, eram 7 o número de bloqueios em rodovias federais.
Segundo a PRF, não houve aplicação de multas no estado nem foi registrada nenhuma prisão relacionada aos protestos. Rodovias estaduais também contam com manifestações.
Neste domingo (27), o porta-voz do Exército no estado afirmou que as forças federais e estaduais vão atuar para desbloquear as rodovias, conforme determinação do decreto do presidente Michel Temer (MDB). “Missão dada é missão cumprida. E nós vamos cumprir”, declarou o coronel Erland Mota. Ele também afirmou que as “negociações” serão o caminho para que a ordem seja cumprida.
Desabastecimento

Em consequência da paralisação dos caminhoneiros, o estado enfrenta problemas de desabastecimento de alimentos e gás de cozinha. O sábado também foi difícil para quem procurou combustíveis nos postos de Natal e de cidades do interior. No final da tarde, porém, após negociação da PRF e com escolta, manifestantes liberaram passagem de cerca de 40 caminhões tanque para abastecer os estabelecimentos na capital e região metropolitana.
“A informação que temos é que a maioria dos postos estão abastecidos com gasolina e diesel f500. Alguns ainda estão sem etanol”, afirmou na manhã deste domingo (27), Antonio Cardoso Sales, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos).
Nas ruas, porém, ainda é possível encontrar vários postos sem disponibilidade de gasolina.

Gás de cozinha

Uma carga com cerca de três mil botijões de gás de cozinha vinda do pólo industrial da Petrobras em Guamaré, também chegou à capital potiguar. Ainda assim, o Sindicato dos Revendores de GLP informou que cerca de 90% dos estabelecimentos estão sem produto para oferecer aos clientes. As vendas estão sendo priorizadas para hospitais e escolas, de acordo com o presidente do Singás, Francisco Santos.
“Temos muitos caminhões que vêm de Suape (Pernambucos) presos em Parnamirim. Outros que vêm do Ceará também ficaram presos nos bloqueios. Se permanecermos assim, acredito que não teremos botijões na próxima terça-feira (29)”, afirmou.
Ele ainda solicitou que a população evite comprar gás de cozinha para armazenar e que só procure o produto quando acabar, para evitar um desabastecimento ainda mais rápido. Em média, por dia, são vendidos 10 mil botijões de gás em Natal.
Transporte

Na indústria, produtores de sal e camarão – dois dois principais itens da pasta de exportações – também têm dificuldades para fazer escoar a produção. Na capital, a frota de ônibus está reduzida para evitar um colapso no sistema de transporte público. Na sexta, o número de ônibus circulando foi reduzido em 30%.
Neste domingo (27), segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), o sistema opera com cerca de 50% da frota, o que é comum aos domingos, na capital potiguar.

Rodovias federais interditadas

BR-101
Parnamirim (km 105) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Fica na frente do Parque de Exposições Aristófanes Fernandes. É o maior ponto de interdição do estado. E foi o primeiro a ser formado, ainda na segunda (21). Apenas veículos pequenos estão passando.
Touros (Km 06) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.
BR-226
Santa Cruz (Km 109) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.
BR-304
Mossoró (Km 33) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Desde a terça-feira, dia 22, caminhoneiros bloqueiam esse trecho, que liga Mossoró a Fortaleza, no Ceará. Só carros de passeio, motos e ambulâncias passam.
Assu (Km 106) – caminhoneiros permaneciam em protesto até a última atualização desta matéria.
BR-405
Apodi (Km 78) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Na sexta (25), o bloqueio foi no trecho entre Mossoró e Apodi, no Km 72. Neste sábado, (26), às 9h, os manifestantes mudaram o ponto de bloqueio e estão na ponte no caminho para Pau dos Ferros, no Km 78.
BR-427
Caicó (Km 104) – com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Esse trecho liga Caicó a Serra Negra do Norte. Os caminhoneiros estão bloqueando caminhões, mas permitem a passagem de carros menores.

Via G1/RN

Segundo forças armadas, grupo formado por órgãos federais e estaduais vão atuar em negociações com caminhoneiros. Protestos chegam ao sétimo dia neste domingo (27).

o dada é missão cumprida. E nós vamos cumprir”, afirmou ao G1 o porta-voz do Exército no Rio Grande do Norte, coronel Erland Mota, sobre a publicação de decreto do governo federal que autorizou o uso das forças armadas para desbloqueio de rodovias onde acontecem manifestações de caminhoneiros por redução no preço do diesel. Este domingo (27) é o sétimo dia consecutivo de protestos.

De acordo com o coronel, uma força-tarefa foi montada com as três forças armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), além de órgãos estaduais, como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, e órgãos federais, como Ministério Público, Advocacia Geral, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.
Uma reunião entre esses órgãos está programada para este domingo, com o objetivo de sincronizar e harmonizar as atuações das forças. Ainda de acordo com ele, já existe um sala de controle montada para discutir a situação do estado e que já tem atuado na negociação com os manifestantes. Tanto, reforça, que não houve falta de combustíveis e outros insumos para serviços essenciais. “A solução passa por negociação”, declarou o coronel Erland.
Ainda de acordo com ele, cada órgão continua responsável por suas funções constitucionais e área de atuação. “Estamos apenas sincronizando as atividades para evitar que ‘um atire no outro'”, explicou.
Na manhã deste domingo (27), rodovias federais continuam bloqueadas no Rio Grande do Norte. De acordo com a PRF, ninguém foi preso ou multado até a última atualização. Apesar dos bloqueios, neste sábado (26), manifestantes deixaram caminhões carregados com combustíveis passar para abastecer postos de Natal e região metropolitana.

VIA G1/RN

Com isso, todos os voos que pousarem em Brasília e que precisem de abastecimento ficarão em solo até volta do fornecimento.

O Aeroporto de Brasília informou que a reserva de combustível se esgotou nesta sexta-feira (25). De acordo com a Inframerica, que controla o terminal, as reservas entraram em estado crítico. Com isso, todos os voos que pousarem em Brasília e que precisem de abastecimento ficarão em solo até o fornecimento de combustível ser normalizado.

Até a última atualização desta reportagem, nove voos foram cancelados:

  • American Airlines 213 – Miami/Brasília
  • American Airlines 214 – Brasília/Miami
  • Gol 1718 – Brasília/Teresina (Piauí)
  • Latam 3705 – Brasília/Congonhas (São Paulo)
  • Latam 3706 – Congonhas (SP)/Brasília
  • Azul 2926 – Brasília/Guarulhos (São Paulo)
  • Azul 2925, Guarulhos (SP)/Brasília
  • Azul 2558 – Confins (BH)/Brasília
  • Azul 2613 – Brasília/Confins (BH)

Ainda segundo a Inframerica, a única alternativa é o avião pousar com capacidade para decolar sem a necessidade de abastecimento no terminal. A situação, ainda assim, não implica o fechamento do aeroporto.

“A operação continua, mas apenas para aqueles aviões que tenham capacidade de decolar sem precisar abastecer.”

A orientação é que os passageiros que tenham viagem marcada confirmem o status do voo com a companhia. “A Inframerica está em contado direto com todos os órgãos competentes e players da aviação civil para buscar soluções, organizar a logística do Terminal e tentar trazer os caminhões de combustível para o Aeroporto.”

A empregada doméstica Maria de Jesus, de 50 anos, do Rio de Janeiro chegou ao aeroporto para uma conexão e deu de cara com a informação de que o voo para Teresina estava cancelado.

“Eles poderiam ter nos avisado lá no Rio quando embarcamos. Eles vão ter que se virar pra acomodar a gente.”

Ela estava indo cuidar da mãe, internada no hospital. A previsão é de que o próximo voo só seja retomado no sábado, às 16h. “Minha mãe caiu e está precisando de mim. Larguei tudo para nada. Agora estou aqui fora de casa e parada.”

O gerente de lanchonete Adoaldo dos Santos, de 38 anos, também esperava partir para Teresina. Veio de Guarulhos e ia a passeio visitar a família para o aniversário de 90 anos da avó.

“Precisamos que eles resolvam o mais rápido possível porque temos nossos compromissos pessoais”, desabafou.

“Se eles tivessem avisado lá em Guarulhos, eu não teria embarcado, porque pelo menos estava em casa”.

Via G1

Apossibilidade do jovem jucurutuense Jonata Denys (Shampoo) ter seu nome trabalhado como candidato a vereador é enorme. Sobre este assunto, o próprio jovem falou da possibilidade de ter o nome na política.

Fizemos as seguintes pergunta:

1 – O que você acha de seu nome vim ganhando grande destaque nas ruas da cidade de Jucurutu?

R: Eu acho até uma surpresa, ao mesmo tempo fico feliz em saber que as pessoas têm esse carinho por mim. Não sabia que minha popularidade e jeito simples de ser chegasse a esse ponto.

2 – A Juventude Jucurutuense teria orgulho de se sentir representada por você caso vinhesse a se tornar vereador?

R: Não sei, mais daria o máximo mim pra tentar ajudar, mais deixa bem claro que não penso nisso. Até porque tenho meus compromissos, tenho líderes políticos, pessoas que sempre acompanhei e tenho respeito e gratidão.

3 – O que você acha do atual cenário político de Jucurutu?

A política de Jucurutu tomou outra proporção, vimos que as coisas vêm mudando, as pessoas passaram a usar muito as redes sociais e fazer dela uma arma. Então tem hora que chego até pensar que virou uma coisa triste de ver.

4 – Quais seriam seus principais projetos para a juventude na câmara de Jucurutu já que é um cara jovem?

R: Eu sempre acreditei na cultura, no esporte e na saúde. Acredito que iria lutar por projetos voltados pra esse lado. Também iria batalhar pela classe estudantil. Tentar fazer parcerias junto ao município pra que os alunos tivessem novamente carteiras de estudantes grátis. Até porque é o direito do aluno, e lembro que já teve essa parceira em anos anteriores.

5 – Você acredita que seu nome tem ganhado destaque atualmente por qual motivo?

R: Não sei nem como explicar como surgiu isso, como falei antes sou uma pessoa muito simples. Por onde ando sempre Gosto de fazer amizades, graças a Deus não tenho inimizades com ninguém. Só não pensei que um dia isso iria surgir assim.

6 – Com base no que foi dito na segunda resposta da entrevista. Podemos então descartar a possibilidade de sua possível candidatura para o ano de 2020?

R: Não, não isso nunca teve em meus planos. Sempre estive disponível para ajudar as pessoas que acompanhei e acompanho até hoje. Tenho como diz na voz popular (Lado do político em Jucurutu) mas isso é uma coisa que tem pensar bem, conversar com a minha família, com os amigos, colegas. E se eu ter uma chance e tiver apoio também de alguns políticos de Jucurutu que eu acompanho. Deixando claro. Quem sabe né? A palavra nunca ela não pode ser dita jamais.

Via Jair Sampaio

Este é o quinto dia seguido de protestos contra o aumento no preço do óleo diesel.

Em mais um dia de greve, estradas que cruzam o Rio Grande do Norte voltam a registrar bloqueio de caminhoneiros. Nesta sexta-feira (25), segundo a Polícia Rodoviária Federal, há interdições parciais em pelo menos quatro rodovias federais. São elas:

BR-101 Sul

  • Parnamirim (km 105).
  • São José de Mipibu (km 125).
  • Touros (Km 06).

BR-226

  • Santa Cruz (Km 109).

BR-304

  • Mossoró (Km 33).
  • Assu (Km 106).

BR-427

  • Caicó (Km 104).

RNs

A Polícia Militar também registrou protestos com interdições em rodovias estaduais. São elas:

  • RN-118, em Ipanguaçu
  • RN-015, em Baraúna
  • RN-160, em Macaíba.

Transporte público

Em Natal e região metropolitana, os ônibus de passageiros estão circulando com frota reduzida nesta sexta (25). Na capital, 70% da frota está circulando. Já o transporte público intermunicipal, roda com 60% da frota. A redução, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município (Seturn), é necessária para evitar um colapso no sistema, já que não está havendo abastecimento de diesel nos postos por causa da greve dos caminhoneiros. A redução da frota deve continuar até o fim dos protestos.

Em solidariedade aos caminhoneiros, motoristas de vans escolares se reuniram na praça de Mirassol, na Zona Sul de Natal, e também fizeram um protesto nesta manhã. Nos vidros dos veículos, os dizeres: ‘Somos todos caminhoneiros’.
Abastecimento

De 120 caminhões esperados para o abastecimento da Central de Abastecimento do Rio Grande do Norte (Ceasa), nesta sexta-feira (25), apenas 40 chegaram. De acordo com a direção da central, ainda não é possível estimar prejuízos. Produtos como tomate, pimentão, laranja, repolho, já estão em falta e outros produtos tiveram disparada nos preços.
Protestos

Este é o 5º dia seguido de protestoscontra o aumento no preço do óleo diesel, apesar de o governo federal e representantes de caminhoneiros anunciarem um acordo para suspender a greve. A paralisação dos caminhoneiros é devido ao alto preço do diesel e o baixo valor do frete.
Mesmo com decisões judiciais determinando a desinterdição das BRs, policiais rodoviários federais dizem que não desbloquearam as rodovias por não ter havido bloqueio total.

ViaG1/RN