Jucurutu/RN, 19 de julho de 2019

Em dose dupla, meia cruzeirense volta a marcar competição continental e acaba com sina que vinha desde final de 2008.

Os dois gols de Thiago Neves na goleada de 7 a 0 do Cruzeiro sobre a Universidad de Chile, nesta quinta-feira, no Mineirão, pela Libertadores, encerraram um jejum incômodo para o meia da Raposa, que está na história da competição justamente por balançar as redes adversárias.
Único jogador a fazer três gols em uma partida final de Libertadores, fato que ocorreu em 2008, na vitória por 3 a 1 do Fluminense sobre a LDU, Thiago Neves não marcava na competição continental desde aquela partida, quando o o time tricolor foi vice-campeão.

Nas edições 2012 e 2013, quando atuou em 15 jogos, também pelo Fluminense, o meia não balançou as redes. No Cruzeiro, nos três jogos realizados nesta temporada pela Libertadores antes do duelo em casa contra os chilenos, ele também não passou em branco. Mas, nesta quinta foi diferente, em mais um jogo histórico que teve o meia como participante.
– É um time muito cascudo. É um time diferente, com jogadores com experiência. Sabíamos que o jogo era importante. Tínhamos que somar pontos. Jogamos bem no primeiro jogo contra eles lá (Chile), jogamos bem no Rio (contra o Vasco), mas os gols não saíram. Merecemos desde o primeiro minuto essa goleada – disse o meia após a partida.

No fim da partida, Thiago Neves mostrou incômodo na coxa direita. Mesmo assim, ele seguiu em campo. O jogador tranquilizou os torcedores e se colocou à disposição para o confronto diante do Internacional, no domingo, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre, pela terceira rodada do Brasileirão.
– Minha coxa começou a pesar. Mas não deu fisgada. Já passei pelo médico. É tratar, descansar nesta semana para ficar à disposição no domingo – afirmou o atleta sobre um incômodo muscular sentido no fim da partida.
Profético
Durante a semana, em tom de brincadeira, Thiago Neves foi perguntado se seria uma maldição a falta de gols pelo hat-trick na final de 2008. O jogador disse que, mesmo se fosse, a situação seria encerrada nesta quinta-feira, como foi.

– Deus me livre. Sai com isso aí. Quinta-feira vai acabar. Já tem um tempo, alguns jogos que não marco, mas quinta-feira vai acabar, Cruzeiro vai fazer gol e uma boa partida. É o que a gente precisa. Não só para gente, para a nossa torcida, diretoria.
Triste memória
A final de 2008 marcou Thiago Neves. Após o meia fazer três gols no tempo normal, ele perdeu uma cobrança na disputa de pênaltis, vencida pela LDU. Por causa desses episódios, o jogador diz que a competição continental é uma obsessão.

– Obvio que é (obsessão), até pela forma que foi 2008. Quero ganhar, porque sou um jogador competitivo. Entro para ser campeão. Todo mundo quer ganhar. Quero entrar para a história do Cruzeiro – disse o meia.

Via GE

Postado em Esportes por
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *